sábado, 5 de maio de 2007

Amaryllis




Nome Científico: Hippeastrum sp.
Nome Popular: Amarílis
Família: Amaryllidaceae
Divisão: Angiospermae
Origem: Brasil
Ciclo de Vida: Perene, Anual


A amarílis apresenta flores carnudas de cores brilhantes, desde meio de Novembro até final da Primavera. Produz flores no cimo de um caule com uma altura de 25cm, com cores que vão do branco puro, cor-de-rosa, laranjas vivos, amarelos delicados até ao vermelho brilhante.
Os Holandeses melhoraram genéticamente esta planta dando origem a inúmeros híbridos.
Todos os hippeastrums são bolbosos perenes com folhas estreitas e compridas. Cerca de 75 espécies foram registadas numa variedade de habitats (desde margens de rios a montanhas) no Brasil, Peru e Chile.

Crescimento:

Os bolbos dos grandes híbridos devem ser plantados no Outono numa mistura de terra com turfa e alguma perlite. Cerca de um terço do bolbo deve ficar visível acima da mistura de terra. Colocar o vaso num sítio quente com cerca de 21ºC, para favorecer o crescimento das raízes. Uma prateleira em cima de um radiador de aquecimento central seria o ideal.
A adubação deve começar desde que apareça a primeira folha, devendo continuar até acabar a floração. Quando os bolbos estão a crescer devem ser mudados para uma zona bem iluminada e arejada. Todos os Hippeastruns manterão mais tempo a sua floração se quando aparecerem os botões da flor, os vasos forem mudados para uma divisão fresca com cerca de 16º C.
Regar os vasos segundo as necessidades da planta, normalmente uma vez ou duas por semana durante o Inverno e a Primavera e mais frequentemente durante o Verão. Será conveniente borrifar a planta se o Verão for muito quente, para aumentar a humidade à sua volta.
As hastes que surgem devem ser apoiadas numa estaca, uma vez que há híbridos que podem atingir 30 com de altura.


Resolução de problemas

Não é recomendável meter as plantas fora de casa no Verão, a menos que se consiga encontrar uma posição abrigada do sol directo, como por exemplo um lugar debaixo de uma árvore frondosa.
Os ventos fortes podem dobrar ou partir as folhas e prejudicar os botões ou flores.
O sol directo e intenso pode avermelhar as folhas, sendo algumas variedades muito susceptíveis a fungos e ataques de parasitas.
Não se deve deixar os hippeastrums crescer na água como se faz com os jacintos pois as raízes apodrecem.
Algumas pessoas são susceptíveis à seiva da planta, que pode irritar a pele. Para evitar este problema devem ser utilizadas luvas.

18 comentários:

  1. A minha avó tinha uma que me lembro de ver anos num pequeno vaso no terraço sempre do mesmo tamanho. Quando ela passou a vir para nossas casas ninguém cuidava da planta e no entanto ela continuou a dar flor, ainda foram alguns anos, não sei como sobrevivia no Verão! Agora lembrando isso acho que era uma planta extraordinária (como a dona, aliás!). Infelizmente depois da morte da minha avó a casa foi demolida e não sei o que aconteceu à planta.

    ResponderEliminar
  2. Pois devia ser uma amarílis vinda sabe-se lá de onde, possívelmente do Brasil e que não tinha os problemas dos actuasi híbridos.Seria vermelha com listas brancas?

    ResponderEliminar
  3. Miguel, boa descrição desta planta.
    Agora é a época de estarem em flor, ainda hoje vi uma linda: vermelha e em cada pétada uma risca branca. Fiquei encantada. Lá tenho eu que um dias destes ir ter com a dona e pedir-lhe se me dá um bolbito, quando for altura. Já não confio nos bolbos comprados, quase nunca saem da cor que nos queremos.
    Cris

    ResponderEliminar
  4. Isso é porque as pessoas mexem nos bolbos para escolherem e depois misturam-nos....já me aconteceu.

    ResponderEliminar
  5. Agora que falaste das amarilis, deu-me saudades do meu pequeno jardim de infância. Andava esquecida destas flores tão resistentes. A ver se compro os bolbos atempadamente para os ver florir para a próxima Primavera. É sempre bom visitar os cantinhos dos amigos :))
    Beijinho

    ResponderEliminar
  6. Se a memória não me falha era! Provavelmente veio mesmo da America do Sul, o meu avô e vários parentes foram emigrantes. Nesse tempo não havia controlo no transporte de plantas!

    ResponderEliminar
  7. Estas flores tambem me fazem lembrar a infância. A minha avó tinha uns "caldeiros" cheios delas, quase não tinham terra, e todos os anos nos presenteavam com inumeras flores. E tinham um cheiro delicioso. Lembram-se do cheiro? Há dias tive ocasião de sentir esse cheiro adormecido, quando me aproximei de uma flor dessas, e nem queria acreditar.Era o mesmo cheiro.
    Cris

    ResponderEliminar
  8. Olá,

    Eu vivo em Fortaleza - Brasil. Tenho uma Amaryllis, em flor, vermelha, linda. Queria vos enviar uma foto da planta. Como fazer?
    meu emaill - melungo@hotmail.com
    Obg.

    ResponderEliminar
  9. minha amarillys que tinhha 4 flores ficou no chão e quebrou se sua haste, quero saber se ela vai continuar com flores y se estragou se
    para sempre?, sua haste no se quebrou toda, eu coloquei um pau para manter erguida ela. mi mail é edu-ydan@hotmail.com, por favor voce pode me contestar? y dar um conselho..obrigado.

    ResponderEliminar
  10. A Amaryllis ou Hippeastrum é uma flor originária da África do Sul e países circundantes frios como o Lesotho e Swazilandia

    ResponderEliminar
  11. oi me chamo elcio sou amante das amarilis por esse motivo sou colecionador tenho inumeras cores

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. oi Elcio, vamos nos falar. Também tenho varias amaryllis. Aproximadamente 20 cores e estou a procura de novas cores e variedades. Faça contato. na postagem tem meu email: reinaldorcsouza@yahoo.com.br ou reinaldo42caetano@gmail.com.

      Eliminar
  12. OI ELCIO TAMBEM QUERO SER COLECIONADORA DAS FLORES AMARILLIS ME MANDE DICAS ONDE POÇO COMPRAR MUDAS QUE AINDA NÃO TENHO.
    Lucia

    ResponderEliminar
  13. Oi Elcio, vc está sendo "disputado", brincadeirinha, é q além da lucia eu tbm quero informações sobre onde comprar amarilis e se interessar gostaria de trocar "bulbinhos". Camilla

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. CAMILA QUAIS AS CORES QUE VC TEM GOSTARIA DE FALAR COM VC.
      LUCIA

      Eliminar
  14. Olá

    Chamo-me Isabel, vivo em Angola. na cidade do Lubango e sou aficcionada das amarillis, por isso tenho inúmeras cores e vários tipos. Desde as simples as dobradas. Sempre que viajo tento comprar novas amarillis

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ola Isabel estou em Mozambique e tbm em Johannesburg, gostaria de trocar ideias com Vc sobre aa Amarillys. Me chama Elizama e meu email e Eliza.maza@hotmail.com

      Eliminar
  15. olá, também adoro amaryllis e estou colecionando. Tenho aproximadamente 20 cores. Morro no sul dro Brasil e gostaria de contatar pessoas que possam vender ou trocar bulbos. Meu e-mail: reinaldorcsouza@yahoo.com.br.

    ResponderEliminar